Slide

Há atrasos que custam muito a ultrapassar, mas há outros que não dão uma segunda oportunidade.

 

O cancro do intestino é uma das principais causas de morte em Portugal.

A partir dos 45 anos, faça a sua colonoscopia.

Seja pontual,
principalmente com
a sua saúde

O que é o Cancro do
Intestino?

O Cancro do Intestino ou Cancro Colorretal (CCR) é o cancro mais frequente do Aparelho Digestivo e a principal causa de morte por cancro em Portugal.

Geralmente, este cancro desenvolve-se a partir de uma célula ou um grupo de células do revestimento interno da parede intestinal (mucosa).

Estas células multiplicam-se e organizam-se, formando um pólipo – um pequeno tumor não canceroso (benigno) – uma elevação ou projeção do revestimento interno da parede abdominal.

À medida que cresce, e com determinadas condições genéticas próprias, um pólipo pode transformar-se em cancro. Isto significa que passa a ter a capacidade de invadir tecidos vizinhos.

É a principal causa de morte
por cancro em Portugal.

E o terceiro tipo de cancro mais comum, a nível mundial.

Todos os anos, cerca de 370 mil cidadãos da União Europeia são diagnosticados e 170 mil morrem.

Em Portugal são diagnosticados, por ano, cerca de 7000 novos casos de cancro do cólon e reto.

Atualmente, morrem 11 portugueses por dia com este tumor.

No entanto, é também um dos Cancros mais fáceis de evitar.

Se o rastreio e diagnóstico forem realizados
atempadamente, e a patologia for detetada numa
fase precoce, a sobrevivência ultrapassa os 90%.

Mas melhor do que tratar é evitar o aparecimento deste cancro.
Não se atrase no rastreio e no diagnóstico precoce.

Mas como evitar?

A colonoscopia é o método mais fiável de prevenção e de diagnóstico, cada vez mais seguro e confortável. Este exame, efetuado num intestino bem limpo e preparado, permite ao Gastrenterologista observar integralmente o cólon e o reto, através de um endoscópio.

Este método que permite simultaneamente o rastreio, diagnóstico e tratamento, leva a que com uma simples intervenção terapêutica, remover os pólipos, evitando que estes se desenvolvam para cancro.

A deteção precoce e a remoção dos pólipos permitem diminuir substancialmente a probabilidade de ocorrência da doença maligna e da sua mortalidade.

Quando os sintomas se manifestam, a doença
pode estar já muito avançada. Por isso, a partir
dos 45 anos

Procure o seu Gastrenterologista
e faça a sua colonoscopia!