Saúde Digestiva

Relação Cérebro e Intestino
Prevenção

Relação Cérebro e Intestino

Sabia que o intestino, é considerado o nosso segundo cérebro? Muitas pessoas podem não acreditar, mas o nosso intestino é muito mais complexo do que pensamos.

O intestino é responsável por mais de 90% da serotonina produzida no nosso corpo. A serotonina é um neurotransmissor que regula diversas funções no organismo, incluindo o humor, o apetite e até funções intelectuais. O intestino, possui, desta forma, um sistema nervoso próprio que está interconectado com o cérebro. Ou seja, este tem um sistema nervoso próprio que, por sua vez, está ligado ao sistema nervoso central, o que faz com que o nosso intestino seja considerado um segundo cérebro. Deste modo, temos dois sistemas nervosos a operar de forma autónoma. E, à semelhança de qualquer outro órgão, também este merece a nossa devida atenção, já que o seu bem-estar determina a saúde do nosso corpo e da nossa mente.

Isto significa que, o sistema digestivo tanto afeta o humor, quanto o humor afeta o sistema digestivo. Quando estamos nervosos para um evento importante na nossa vida, como um exame, sentimos o efeito do stress no nosso intestino, o que provoca diarreia e/ou obstipação. Isto acontece, devido à estimulação do nervo vago, que é estimulado dependendo dos sentimentos de cada um e liberta hormonas que deixam o movimento do tubo digestivo mais acelerado e condicionam a libertação de mais secreções. No entanto, as reações são individuais, podendo variar dependendo de cada organismo. Há pessoas que ficam com o intestino preso, em vez de terem diarreia, por exemplo. Outra reação comum é a dor de “estômago” mediante o stress.  Este sintoma é provocado pela produção excessiva  ácido pelas células gástricas, que são estimuladas  através do nervo vago. Sentimentos de tristeza e/ou depressão podem conduzir a obstipação e, por outro lado,  problemas de distúrbio do sono podem ter origem no cérebro intestinal.

Um fenómeno que demonstra bem a interação entre o cérebro e o sistema digestivo é o “frio na barriga”. Também é o nervo vago que estimula o tubo digestivo e a maioria das pessoas desenvolve uma sensação de borboletas no estômago, devido ao nervosismo.

Para ter um sistema digestivo saudável que não interfira negativamente no humor, deverá ter uma dieta variada. A nossa microflora tem de ser variada e cada um tem a sua própria. Porém, apenas uma dieta saudável, não é o suficiente para uma função plena do sistema digestivo. Se está com problemas no trabalho, na família, psicológicos, o que quer que seja, isso irá interferir com o sistema digestivo. Mesmo comendo bem, acaba por não fazer uma boa digestão dos alimentos. Nestes casos, o uso de probióticos é recomendável, no entanto, é necessário escolher o mais adequado para si e fazer uma utilização cuidadosa, através de uma orientação médica.

O mais importante é a moderação e o equilíbrio. Comer aqueles doces que a avó ou a mãe faz, de vez em quando, também é importante. E porquê? Quando comemos algo de que gostamos bastante, a digestão começa antes da ingestão. Antes, sequer, de comermos, sentimos o cheiro do alimento, vemos a cor e a textura. Durante este processo, o cérebro envia sinais para o estômago produzir mais ácido para se preparar para a digestão. Da mesma forma, melhora o seu humor e digere melhor o doce ou o alimento.

São muitas as evidências científicas que atestam a importância do estômago e da flora intestinal na nossa saúde e não restam dúvidas de que o aparelho digestivo tem uma influência decisiva no nosso bem-estar físico e mental.